domingo, 23 de novembro de 2008

SBHE e eleições no Centro de Educação


Do dia 09 ao 12 deste mes estivemos na cidade Aracaju participando do Congresso Brasileiro de Historia da Educação. O Evento muito um grande oportunidade para estarmos em contato com os pesquisadores desta area no Brasil. Lá apresentei um texto que tem uma ligação com meu projeto de doutorado o texto apresentado foi: Lyceu Parahybano: referencia em instrução secundária na Província da Parahyba do Norte. Aproveitamos também para lançar o nosso livro que foi bem aceito. Um dos grandes frutos deste evento foi o fato de eu ter sido convidado para fazer parte de uma coletanea sobre os liceus no Brasil e em Portugal. O livro esta organizado pela prof. Aricle Vechia, de Curitiba e vai ser ao estilo do livro sobre as escolas normais recém lançado, organizado pela prof. Anamaria Bueno. O convite em grande parte é um presente de meu orientador o prof. Antonio Carlos que deixou bem claro que eu tinha que fazer parte de tal livro. Antonio é antes de tudo um grande amigo e fico feliz por estar a quase 5 anos trabalhando com ele. O livro como já disse será lançado no Brasil e em Portugal o que me dará uma publicação de caráter internacional. O grande ponto contra no evento foi a presença de um professor do nosso programa de Pós-graduação ter adentrado à assembléia da sociedade totalmente bêbado, foi um coisa de dar vergonha.
Uma das nossas preocupações no em Aracaju era que voltassemos a tempo para que pudessemos participar do processo eleitoral no Centro de Educação uma vez que a mesma fora marcada (talvez de forma pensada) para o dia em que uma linha inteira do PPGE, que votava contrário a atual administração estivesse fora. Mas conseguimos chegar a tempo e votar. O que foi difícil foi votar. Deram um jeito de que os alunos sofressem muito para conseguir isso a fila era enorme e a desculpa era falta de caneta. O resultado foi que a atual chapa venceu apesar de os alunos que são a principal entidade de uma universidade terem seus votos com menor valor que os outros. Porque professores e funcionários parecem ser os mais importantes numa instituição? O fim não é o aluno? Não é a ele que tem que ser dirigidas as propostas? E o pior é que mesmo a minha candidata não aprova que o voto de aluno e professor tem ao mesmo valor. Não é a toa que o Centro de Educação seja um local onde o que prevalece são as brigas, os egos, o poder ou como nos lembra Foucault o micro-poder, uma vez que estas pessoas não brigam por ideologias ou estejam pensando em uma mudança na instituição, vejam a situação do curso de Pedagogia da UFPB, um dos piores do país. Porque será? Estas pessoas estão preocupadas com suas palestras, com seu dinheiro ganho em instituições particulares. Fazem um discurso totalmente diferente do que fazem em seu dia-a-dia. Em sala de aula são freireanos, solidários e no cotidiano são velhacos capitalistas, não que eu seja um anticapitalista mas ao menos assumam em seu discurso não sejam hipócritas. Não é um absurdo por exemplo aquela professora (que adora educação à distância) fazer críticas a professores da UVA e doutorandos da Lusófona e dar aulas nesta última? Ou ter entre suas mais próximas (escravinhas) uma ex-aluna e professora da UVA? E não é só ela tem aquele professor historiador freireano que também está lá Lusófona ganhando muita grana. Onde está a ideologia dessa gente? Desculpem o desabafo mas é por essas e outras que a nossa educação continua tão ruim

Um comentário:

Alásia disse...

Pois é, Cris

Enquanto essa patifaria e velhacaria politequete anda por aí com as rubricas de projetos encomendados, usufruindo do peniqueirismo de alguns alunos bosta n'água que além de escreverem seus projetos, ainda escrevem seus livros e artigos em "co-autoria"... nós, que produzimos conhecimento, mas não vivemos atualizando o lattes a cada peido e diarréia verborrágica chamada de LIVRO ou PUBLICAÇÃO, estamos aqui... numa boa, produzindo não só conhecimento, mas pensamento crítico, sendo sujeitos de nós mesmos e não peniqueiros e peniqueiras de "Vossas Majestades" os (as) doutores da era de aquário! Ufa! Isto é um grande consolo!
Beijos, lindinho...
qualquer dia desses a nossa era (a era dos que têm compromisso se inicia...)... tenho esperança nisso!