domingo, 24 de julho de 2011

Oh gente da minha terra. Mariza. Para meus amigos Alásia e Manuel.

10 comentários:

Cristiano Ferronato disse...

Falem a real arrepia ou não?

Manuel Fernandes disse...

Meu caro...
A voz da mulher é marcante, a sua interpretação magistral, mas... (lá vem o mas!).
O fado que ela canta é o apelidado "fado canção", um dos muitos tipos de fados, dentre os quais, além desse, temos o fado "Coimbra", o fado menor e o fado Mouraria (este último a que eu chamo vulgarmente de fado castiço).
A partir dessa divisão se podem conceber várias opiniões e até métodos avaliativos. Não significa dizer que um tipo é mais ou menos que o outro, apenas que eu, você ou Alásia podemos gostar mais deste ou do outro.
Isto dito, não acredito que os tugas tenham maior ou menor apreço por ela ser moçambicana... pois se ela o é, deve ser filha de tugas, a perceber pela sua cor. Acredito muito mais no exposto anteriormente.
Quanto ao arrepiar... é, ela arrepiou e foi salva pela presença de espírito do guitarrista que a "safou" no momento do chororô. Faz parte do show, eu sei, mas parece muito com "apelação". A Diva (Amália) chorava, vez por outra, a voz tremia de emoção (isso tb é fado!) a lágrima escorria (teimosa), mas ela sempre segurou a peteca.
Mas valeu pela dica principalmente para quem não conhecia a artista. E lembrem... esta á uma opinião pessoal que não tem outra intenção que mostrar o meu pensamento.

Abraços

Cristiano Ferronato disse...

Interessante o que fala apesar de ser um adepto do fado,sou cristão novo nessa área e não sabia dessa classificação que me apresenta. Eu tinha ouvido o fado Coimbra e o fado mouraria e tinha percebido que haviam diferenças entre eles. Quanto a Mariza quando falei sobre a questão da origem foi porque em algumas casas de fado lá em Lisboa eu ouvia estes tipos de comentários, principalmente na Alfama. Já na casa que eu frequentava no bairro alto ela era a deusa. Po, mas o chororo eu interpretei como emoção mesmo, aquela emoção que o fado coloca no coração e na alma portuguesa. Eu acho que Amália, é Amália, como vc disse a Diva, mas Marisa tb é a Diva do fado moderno. Ela conseguiu dar nova vida ao estilo, trouxe beleza e juventude que a partir dela começaram a ouvir mais. Ainda hj em Portugal há um certo preconceito com o fado. Os academicos diziam sempre pra que evitasse os 3 f de Portugal que eram, Fado, Futebol e Fátima. Eu cumpri os dois primeiros. Ouvi muito fado (e ainda hj ouço atravez da radio amália), fui ver uma final do campeonato portugues entre o Benfica e o Rio Ave no estádio da luz. Agora Fátima eu deixei de lado.

Alásia disse...

Vamos de José Afonso. Sugiro Balada de outono. Linda!

Alásia disse...

Olha, Cris
é difícil concordarmos eu e o Manuel, kkkk, nem por isso somos inimigos. Mas tenho que concordar com Manuel, Amália é a Diva da Divas, incomparável. Sobre o preconceito à Mariza, tb discordo dos motivos, porque a Cesária Evora é caboverdiana e os portugas adoram. Se Mariza fosse estilo Gipsy kings, aí sim, acho que o bicho pegava e não soltava mais!

Manuel Fernandes disse...

Meu nobre, apenas ilustrando, como contribuição para a tua formação fadista, escuta isso: fado à desgarrada
http://www.youtube.com/watch?v=PxEjifbcwXw

fado castiço:
http://www.youtube.com/watch?v=SPb_5phbezE&feature=related

o mesmo fado castiço na voz de Mariza:
http://www.youtube.com/watch?v=lOq78qAfTZ0&feature=fvwrel

curte mais um castiço:
http://www.youtube.com/watch?v=_2mb4hl_xb0&feature=related

Mas a lição final é com o Mouraria (desculpa lá é o professor de fado que assim diz) para melhor entenderes:
http://www.youtube.com
/watch?v=gaMkjBmjAUY

o fado das horas é este:
http://www.youtube.com/watch?v=nlbZkzGFNCc

Por fim, quero terminar com um ou dois fados de Coimbra onde acontece uma das mais belas manifestações de amor ao estudo que já vi em minha vida "A queima das fitas". Enquanto escutas, lê os comentários e... arrepiar! E se um dia puderes... vai ver, mesmo se as tradições se vão perdendo:

http://www.youtube.com/watch?v=8kmifh2zdtE

http://www.youtube.com/watch?v=f3WGttZdksg

Meu nobre, o resto... bem, o resto é fado!

Boa semana!

Cristiano Ferronato disse...

Carissimo a versão de Mariza já conhecia mas a outra não. Adorei tb.Muito boa a aula do professor. Ah o fado da horas, nossa. Quanto ao fado Coimbra deu saudades daquelas ruas e como. Valeu pelas dicas. Alásia José Afonso é muito bom tb. Para fechar eu indico a vcs o fado que mais gosto, é de Mariza gravado no belissimo Convento de Cristo em Tomar que tive o privilegio de conhecer. Só mais uma dica como a saudade de Portugal não me sai mais da alma fui ao restaurante portugues que tem aqui no manaira comer um bacalhau e ouvir um fado o mes passado. Isso mesmo ouvir fado em Joao Pessoa, cantado por uma paraibana. Ficou um pouco a desejar visto que falta emoção, falta alma no canto e na guitarra. Mas valeu se quiserem ir podemos marcar uma noite de fado e bom bacalhau.

Alásia disse...

Já fui nesse restaurante tb, só pra ouvir fado, de fato, a música e a comida também deixaram um pouco a desejar. Nunca vi um bacalhau enfeitado com tanta azeitona. Mas, apesar dos limites, é bom, sim. Vamos combinar. Já tenho no meu caderno um café no shping sul e essa do restaurante.
Manuel, de fato, aula de fado, fantástica aula. Vou ouvir agora tudinho. Adoro. Continuo implicante (se não não era Alásia) kkkk, Amália é Amália, linda, sua voz e o clima que ela cria tem vida própria e se desprende dela, contagia.... :)
Vamos marcar um jantar nesse restaurante depois de nossas defesas. Topam?

Cristiano Ferronato disse...

Verdade Alásia falta aquele café kk EU topo a sua proposta. Beijão

Manuel Fernandes disse...

KKKKKKKK
Eu li bem, ou tem gente querendo brigar pelo Fado?
Brincadeira Alásia. Eu só entrei nessa porque normalmente as pessoas não conseguem perceber que há diferenças marcantes até no trinar da guitarra (ou da viola - que vocês, aqui no Brasil chamam de violão, mesmo havem uma grande diferença), quanto mais no FADO em si mesmo.
Não sei se perceberam a afinação e o timbre (trinado das guitarras de Lisboa - e, ali, nos diversos tipos de fado), e naque das guitarras de Coimbra. Reparem que que o instrumento é igual, o que diverge é a afinação e o valor das cordas.
Por isso, quando houvirem alguém dizer, como eu já disse aqui "o resto é fado" perguntem logo qual o estilo que a pessoa cai do cavalo imediatamente.

Quanto ao mais... vamos a esse almoço ou jantar, ao som de fado. E prometo não ser muito crítico com @ fadista!

Abraços