quinta-feira, 30 de junho de 2011

Falta coragem para andar de ônibus.

Estava eu hoje de manhã procurando lá no fundo da minha alma um pontinho de coragem para me arrumar e sair de casa, pegar ônibus e passar na Universidade. Mas só de pensar em "pegar" ônibus eu fico meio agitado. Parece papo de colonizado eu sei, mas essa pouca vontade com os transportes coletivos no Brasil se deu após minha passagem por algum tempo morando e estudando em Portugal, especificamente em Lisboa. O transporte público lisboeta é muito bom, para um brasileiro eu diria que é maravilhoso. O cliente compra um cartão, na época era 32 euros e pode-se usar por 30 dias o auto-carro (ônibus) e o Metro se limite de viagens. Eu no início como nunca tinha andado de metrô, prefiria andar uns 10 minutos só para embarcar nele. No entanto logo a novidade já não era mais mais novidade e eu comecei a embarcar no auto-carro que parava em frente a minha morada. Bem quanto ao metrô eu acho o de Lisboa o melhor se comparado com cidades que conheci como Madrid, Paris, Porto e São Paulo. Seguro, limpo, pontual e barato. Mas logo que descobri os auto-carros percebi que aqueles tinham qualidade similar, pontualidade e segurança similar ao metro. Os carros são limpinhos têm ar-condicionado e serviço de som, que avisa a próxima parada e além disso nas paragens existem uns monitores que nos avisam quanto determinado demora para chegar. Um verdadeiro metro de superfície.  Claro que numa cidade como Lisboa cheia de subidas e decidas e ruas com os chamados paralelepípedos existem alguns tropeços mas, nada que estrague a viagem. Me lembro de um dia, um sábado para ser mais preciso que eu resolvi ir ao Palácio d´Ajuda. Belíssimo Palácio que foi projetado por D. João VI e que ficou por finalizar quando da vinda da familia real ao Brasil. Eu prefiro o de Queluz por sua beleza inspirada em Versailhes e por ser acho eu mais misterioso, mas o d´Ajuda é belíssimo. Mas isso é outra história. Bem nesse dia eu peguei um auto-carro e lá fui eu passear por Alcântara, Belém, Ajuda. Um detalhe que não comentei é que geralmente os auto-carros são mais usados pela população de mais idade. então quem foi não se assuste ao adentrar num destes durante o dia e só ver aqueles velhinhos portugueses todos com cara de mau.E tem mais não se preocupe em dar o seu banco para eles sentarem muitos até se ofendem. Bem nesse dia o auto-carro também estava cheio de velhinhos e o carro balançava para lá e para cá com as subidas, descidas, quando um velhinho segurando naquelas barras  já estava bravo de tanto balançar quando disse: Mas que merda, Lisboa não foi feita para esses malditos carros, onde estão os elétricos? Foi muito engraçado e já começou uma discussão sobre o assunto. Obviamente que toda essa qualidade tem um preço o transporte público lisboeta é todo financiado pelo Estado e vive dias nada bons com uma dívida impagável. Digo isso sempre àqueles que defendem o metro em João Pessoa. Este tipo de transporte precisa de um público muito grande para sobreviver economicamente. Não se nega obviamente a qualidade e que deve-se pensar nele já, mas como um projeto de futuro. Lisboa é uma pequena cidade com menos de um milhão de habitantes e por isso essa déficit no metro que tem que ser subsidiado. No caso de João Pessoa importante seria estudar o auto-carro e tentar chegar àquele nível de qualidade não podemos nos esquecer que a Carris, empresa de transporte urbano de Lisboa foi fundada no Rio de Janeiro. Isso mesmo. Em 18 de Setembro de 1872 foi fundada no Rio de Janeiro a Companhia Carris de Ferro de Lisboa. Dotou a cidade de Lisboa de uma rede de transportes públicos colectivos utilizando, na época, o chamado sistema americano: carruagens movidas por tração animal deslocando-se sobre carris. Enquanto o nosso transporte não chega a tal qualidade ficamos aqui ser transportados em ônibus lotados, altos como uma SUV, precisa-se dar um salto para entrar neles, demorados, barulhentos, sujos, com motoristas estressados que às vezes "não nos vêem" na parada. E as paradas bem essas deixa para lá. Eu me lembro do tiozinho lá de Lisboa e digo: Ai que merda, que saudades de Lisboa. Deixa eu ir pegar meu onibus lotado.

2 comentários:

Wanessarlf disse...

Eu que o digaaaa, todos os dias pegar um velho circular. E quando atrasa?
saí de baixo, vem lotado kkkkkkkkkk e os dj de onibus? Só noBrasil mesmo.

Cristiano Ferronato disse...

DJs de ônibus bem lembrado eu os detesto tb kkk